Bioquímica: Ciclo de Krebs

O Ciclo de Krebs, também conhecido como Ciclo do Ácido Cítrico é um centro de oxidações biológicas, ou seja, oxida compostos orgânicos do nosso corpo, tais como: Carboidratos: 4kcal, armazenado na forma de glicogênio no fígado e no músculo; Lipídeos: 9kcal, armazenado como triacilglicerol no tecido adiposo; Proteínas: 4kcal, armazenada nos músculos; Pode se dizes … Continuar lendo Bioquímica: Ciclo de Krebs

Armas químicas e biológicas e seus prejuízos

Arma química é um método que utiliza produtos químicos letais para seres humanos. Podem ser classificadas como armas de destruição em massa, armas nucleares ou radiológicas. Por outro lado, a arma biológica é a disseminação de doenças para atingir determinada população, sendo utilizado parasitas como bactérias e vírus. Ambas causam, obviamente, muitos prejuízos, entre eles … Continuar lendo Armas químicas e biológicas e seus prejuízos

Bioquímica: Glicólise

A glicólise ocorre no citosol, não necessita de oxigênio para sua realização e possui função energética. Como produto, produz PIRUVATO, molécula que pode seguir 3 caminhos distintos: Fermentação alcoólica: ocorre sem a presença do oxigênio, é realizada por bactérias e obtém como produto etanol e dióxido de carbono (CO2); Fermentação lática: ocorre, também, sem a … Continuar lendo Bioquímica: Glicólise

Anatomia Vegetal de Espermatófitas: Tecidos Vegetais – Colênquima

Tecido de preenchimento, vivo e totipotente. Se origina no meristema fundamental e procâmbio (às vezes) e realiza suporte mecânico vegetal em estágio primário. Se localiza abaixo da epiderme em órgãos de crescimento (caule e pecíolo (feixes ou cilindros contínuos na superfície do córtex), folhas (nervuras) e raízes (quando expostas à luz, raro)). As células do … Continuar lendo Anatomia Vegetal de Espermatófitas: Tecidos Vegetais – Colênquima

Lipídeos: as temidas gorduras!

Os lipídios são moléculas orgânicas formados por carbono, hidrogênio e oxigênio, podendo se associar ao fósforo, enxofre e ao nitrogênio. São moléculas apolares, ou seja, apresentam baixa ou nenhuma solubilidade em água. Realizam a reserva de energia, fazem parte da composição da membrana celular e desempenham função como hormônios e vitaminas. São a nossa reserva … Continuar lendo Lipídeos: as temidas gorduras!

Morfologia de Espermatófitas: Folha

A folha é a expansão lateral e laminar do caule que sai do nó. É extremamente vascularizada (vasos condutores – xilema e floema). FUNÇÕES Dentre as funções que a folha pode apresentar, podemos citar: Trocas gasosas; Fotossíntese; Transpiração; ORIGEM Quanto à origem, a primeira folha é encontrada na semente, sendo denominada como cotilédone (“folha embrionária”). … Continuar lendo Morfologia de Espermatófitas: Folha

Morfologia de Espermatófitas: Raiz e Caule

RAIZ A raiz é uma das características que surgem com a ocupação do meio terrestre, tendo em vista que anteriormente, nas Briófitas, não encontrávamos uma raiz verdadeira. Em grande maioria das vezes, a raiz apresenta geotropismo positivo, ou seja, estabelece uma relação neutra ou até mesmo positiva com a gravidade. A mesma não possui gemas. … Continuar lendo Morfologia de Espermatófitas: Raiz e Caule