Evolução

Nesse post falarei sobre a evolução dos seres vivos, dando destaque para Charles Darwin porém comentando a ideia de outros cientistas e filósofos que também fizeram parte do processo de formação da ideia que hoje em dia é aceita.

Vamos começar falando de dois ilustres filósofos cujos nomes: Tales de Mileto e Aristóteles. Tales de Mileto acreditava que a água era o principio unificador dos seres vivos, ou seja, que a vida tinha surgido a partir da água. Aristóteles afirmava que as substâncias orgânicas podiam surgir do meio inorgânico por metamorfose e ainda criou um sistema de classificação dos seres vivos que ia desde dos vermes mais simples até o homem.

Depois de muito tempo, no início do Renascimento as ideias de Aristóteles foram utilizadas pela igreja, onde acreditavam que o número de espécies era fixo e imutável desde a criação, essa teoria foi chamada de fixismo. Muitos cientistas não aceitaram essa ideia e sugeriram que os seres vivos poderiam sofrer transformações ao longo do tempo (TRANSFORMISMO).

Lamarck foi o primeiro cientista que falou da importância dos seres vivos de se adaptar ao meio ambiente. Ele afirmava 2 coisas: a primeira era a Lei do Uso e Desuso que se resumia em que quanto mais você usa um órgão mais ele se desenvolve e quanto menos você usa, mais ele atrofia, e a segunda é a Lei Herança dos Caracteres Adquiridos que nada mais é que se o indivíduo, por exemplo, usou muito seu pescoço, e ele se desenvolveu ele passa isso para seu filho.

A teoria de Lamarckista está errada pois se assim fosse, nossa visão de acordo com que vamos ficando velhos, iria ficando perfeita e não é isso que acontece! E se você está pensando que Lamarck não serviu para nada, saiba que ele foi muito importante e que Darwin afirmou que o mesmo foi muito importante pois o “excitou” para fazer suas pesquisas.

Darwin saiu em um navio que vinha até a América do Sul e Oceania para pesquisar a respeito. O lugar mais importante pelo qual ele passou foram as ilhas de Galápagos, onde ele observou que as espécies podem sofrer variações, ou seja, se modificar durante o processo evolutivo. Darwin também disse que existe uma “Seleção Natural” onde os mais aptos sobrevivem e os menos morrem (por exemplo o urso polar é apto a viver em lugares gelados, pois sua coloração branca o dá uma certa vantagem). O MEIO SELECIONA VARIAÇÕES CASUAIS, VISANDO A ADAPTAÇÃO. Apesar de tudo isso, Darwin não conseguiu explicar como essas variações surgiram e como eram transmitidas aos descendentes, onde mais tarde por meio de Mendel puderam concluir essa teoria (NEODARWINISMO: admite que as variações são produzidas por mutações gênicas; mudanças no número ou na estrutura dos cromossomos e recombinação genética).
A SELEÇÃO NATURAL NÃO PROVOCA MUTAÇÕES OU RECOMBINAÇÃO!

Fonte:

  • BIOLOGIA 2 – Coleção ANGLO– Ensino Médio.
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: