Citologia: Morfologia celular – Membrana plasmática

As formas e tamanhos diferentes das células dependem:

  • Tensão superficial: propriedade da superfície de um líquido que lhe permite resiste a uma força externa;
  • Viscosidade: é a resistência de uma substância em alterar sua forma ou movimento das moléculas;
  • Ação mecânica: ação entre células adjacentes;
  • Rigidez da membrana plasmática: sofre ação de temperatura e de moléculas de colesterol;

MEMBRANA PLASMÁTICA/ MEMBRANA CELULAR/ MEMBRANA CITOPLASMÁTICA/ PLASMALEMA/ BIOMEMBRANA

  • Constituída por lipídeos, proteínas e carboidratos;
  • Seleciona o que entra e sai da célula;
  • Permite a interação e reconhecimento entre células;
  • Individualiza as organelas;
  • Mantém a forma da célula;

Resultado de imagem para bicamada lipidica membrana plasmatica

-> Lipídeos: fornece a estrutura básica da célula, serve como barreira de permeabilidade e é barreira impermeável a compostos hidrofílicos. O colesterol confere mais resistência da membrana, diminuindo a permeabilidade e os glicolipídeos realizam a proteção da membrana em condições adversas e reconhecimento celular. Os fosfolipídeos fazem deslocamento lateral, rotação e movimentos “flip-flop”. A bicamada lipídica lipídica apresenta fluidez graças aos movimentos dos fosfolipídios, temperatura e quantidade de colesterol (quanto mais colesterol, menos fluída será a membrana).

-> Proteínas: fazem parte da estrutura, transportam nutrientes, metabólitos e íons, detectam sinais químicos externos e “informam” o interno e atuam como enzimas. As proteínas periféricas (extrínsecas) estão presentes em ambas as fases da membrana e são ligadas as cabeças dos fosfolipídeos por meio de ligações covalentes. Já as proteínas integradas (intrínsecas) são inseridas entre os lipídeos, podem atravessar de um lado a outro da bicamada.

-> Carboidratos: protege a célula de agressão mecânica e química, auxiliam no processo de despolarização de membranas de neurônios, reconhecimento e adesão celular, isolamento elétrico de axônios (bainha de mielina), especificidade do sistema ABO e têm ação enzimática. Quando se liga a um lipídeo, forma um glicolipídeo. Quando se liga a uma proteína, forma uma glicoproteína.

-> Transportes pela membrana:

Existem 3 tipos de transportes pela membrana: passivo, ativo e em bloco. No transporte passivo não ocorre gasto energético, e pode se apresentar em dois tipos:

 – Osmose: transporte de solvente do meio hipotônico para o hipertônico.

Difusão simples: ocorre segundo o gradiente de concentração da partícula, ocorre a passagem de substâncias lipossolúveis como hormônios esteroides, colesterol e vitaminas.

Transporte facilitado: proteína sobre mudanças na forma e transfere moléculas pela bicamada lipídica, seguindo o gradiente de concentração.

No transporte ativo ocorre o gasto energético e é classificado em:

Transporte ativo primário: tipos especiais de proteínas carregadoras transportam substâncias contra o gradiente químico ou elétrico (íons), utiliza energia de ATP metabólico.

Transporta ativo secundário: a energia fornecida para o transporte de íons contra o gradiente é utilizada por uma molécula penetrante.

Por fim, o transporte em bloco pode ser categorizado em:

Endocitose: seja por fagocitose (no caso de bactérias, agentes invasores…) ou pinocitose (no caso de macromoléculas).

Exocitose (saída da célula)

 

Agradecimento Marisa - CITO

 

Fonte:

  • Aulas da Professora Marisa Cardoso – UNITAU

 

 

 

 

 

 

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: