Zoologia dos Invertebrados Superiores I: Filo Mollusca – Características gerais

O Filo Mollusca agrupa os mexilhões, lulas, polvos, caramujos, ostras, mariscos e etc. A maioria é bentônica, alguns são pelágicos. Podem ser marinhos (maioria), terrestres, dulcícolas ou estuarinos. São organismos monofiléticos em que, provavelmente, seu ancestral apresentava as seguintes características:

  • Triblástico e celomado;
  • Marinho;
  • Habitava águas rasas/fundos rochosos;
  • Vágil;
  • Pequeno;
  • Presença de concha/escudo dorsal para defesa;
  • Presença de pé muscular/sola rastejadora para locomoção;
  • Presença de pálio;
  • Presença de cavidade do manto;
  • Realizava confinamento ecológico para defesa/proteção;

Os pertencentes ao filo apresentam o manto ou pálio que é o revestimento externo do seu corpo, cavidade do manto que é a porção posterior do corpo que comporta pares de brânquias, ânus e o nefrídeoporo. A água entra pelo assoalho da cavidade do manto do animal e circula por meio dos batimentos dos filamentos branquiais.

Além disso, apresentam um pé muscular que origina os músculos pedais que se prendem a concha. O pé muscular também pode funcionar como uma ventosa em alguns casos. Sendo apenas não presente na Classe Bivalvia, a rádula é uma das características mais marcantes desses animais, sendo um aparelho raspador localizado na projeção faringeana, responsável pela digestão mecânica e é composta por:

  • Odontóforo: base cartilaginosa que é controlado por músculos pró-trator e retrator;
  • Rádula: cinturão de dentes quitinosos, também controlada por músculos pró-trator e retrator;

O sistema digestório é completo, em que a digestão começa fora do corpo (digestão mecânica pela rádula) e a química e a aglutinação do alimento ocorre graças, inicialmente, à saliva. Possuem um esôfago e um estômago bicamarado em:

  • Glândula digestiva;
  • Saco do estilete/cristalino/gástrico que armazena o bolo alimentar, o qual, posteriormente, se enrola no estilete por contrações que geram movimentos circulares;

A circulação é aberta e as trocas gasosas ocorrem por meio de Ctenídeos (brânquias do Filo Mollusca), em que a maioria é bipinada (apresenta 2 conjuntos de filamentos branquiais), possuem vasos aferentes que chegam na brânquia com o sangue venoso (logo, atua como uma veia) e vasos eferentes que saem da brânquia com o sangue arterial (logo, atua como uma artéria).

São primitivamente dioicos, com desenvolvimento, em grande maioria, indireto com a presença da larva trocófora e véliger, que podem ser embrionadas, tornando o desenvolvimento direto. A maioria dos animais realizam fecundação externa.

TODO CRÉDITO E AGRADECIMENTO AO PROFESSOR DE ZOOLOGIA DOS INVERTEBRADOS SUPERIORES_ VALTER JOSÉ COBO

Fontes:

  • Zoologia dos Invertebrados- Ruppert e Barnes- 6ª edição;
  • Aulas do Professor Valter José Cobo.
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: