Zoologia dos Invertebrados Superiores II: Filo Mollusca – Classe Gastropoda

A classe gastrópoda representa a maior do filo, sendo representada por caramujos, caracóis e lesmas. São animais primitivamente marinhos, com a existência de alguns dulcícolas e terrestres. Em grande maioria são bentônicos, mas algumas espécies são planctônicas. Apresentam a rádula e se alimentam de algas aquáticas. Apresentam a enzima celulase que é responsável pela digestão de celulose e algumas espécies podem apresentar a probóscide.

Existem 3 avanços da classe, sendo:

  • Desenvolvimento da cabeça: anterior, comporta a boca e 1 par de tentáculos que apresentam, em cada um, um olho;
  • Espiralização da concha: processo evolutivo de pressão seletiva (para defesa e para explorar novos ambientes) que ocorre a nível de espécie

1°- Escudo dorsal: limita o animal ao ambiente rochoso e ao confinamento ecológico;

2°- Cone dorsal: surgiu ao acaso, por recombinação genética ou mutação, e é uma concha pesada que faz com que o animal gaste mais energia para carregá-la

3°- Concha planispiral ou concha espiral simétrica plana: essa concha faz com que o animal consiga se proteger melhor, mas, novamente, é muito pesada e provoca um gasto energético excessivo

4°- Concha conispiral ou concha espiral assimética lateral: foi um sucesso adaptativo, porém houve a necessidade de reajustar o centro de gravidade, para isso o eixo corporal mudou 45° para o sentido anti-horário e a região posterior do corpo inclinou cerca de 45°.

  • Torção do corpo: ocorre a nível individual, pode ser caracterizada como a sinapomorfia da classe, e é uma dobra da massa visceral em, aproximadamente, 180° em que a região posterior se move (cavidade do manto vai pra a região anterior)

1°- Ocorre na fase de véliger (larva), é um processo rápido graças a contração dos músculos velares, torce 90° (cavidade do manto passa a ser lateral);

2°- Crescimento diferencial dos tecidos do tubo digestivo, ocorre no inicio da fase jovem, promove a torção completa (180°), cabeça e pé muscular não se movem;

São primitivamente dioicos, com desenvolvimento, em grande maioria, indireto com a presença da larva trocófora e véliger, que podem ser embrionadas, tornando o desenvolvimento direto. A maioria dos animais realizam fecundação externa.

Design sem nome

Fontes:

  • Zoologia dos Invertebrados- Ruppert e Barnes- 6ª edição;
  • Aulas do Professor Valter José Cobo.

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: