Biologia do Desenvolvimento: Conceitos importantes e primeiras semanas do desenvolvimento embrionário

ANEXOS EMBRIONÁRIOS

Resultado de imagem para anexos embrionarios quem tem o que

Saco vitelínico: fonte de nutrientes e de hemácias (em mamíferos);

Âmnio: proteção mecânica e hidratação (importante para o desenvolvimento externo);

Córion: nutrição e retirada de produtos tóxicos, produz gonadotrofina coriônica que induz a progesterona (mantém a parede uterina vascularizada e espessa) e somatotropina coriônica (lactação) e manutenção do feto;

Alantóide: trocas gasosas, armazena excretas, remove sais de cálcio da casca do ovo e transfere para o esqueleto, forma o cordão umbilical;

Placenta: córion+alantóide+endométrio, trocas entre mãe e feto;

Anfíbios- nenhum anexo (desenvolvimento na água e muito vitelo no ovo);

Peixes- saco vitelínico;

Répteis- saco vitelínico, ãmnio, córion e alantóide;

Aves- saco vitelínico, ãmnio, córion e alantóide;

Mamíferos- saco vitelínico, ãmnio, córion, alantóide e placenta;

 

TIPOS DE OVOS

Heterolécito: sem nítida separação entre o polo animal e vegetal, apresenta grande quantidade de vitelo. Ex: anfíbios;

Resultado de imagem para ovos heterolécito

Telolécito: enorme quantidade de vitelo. Ex: aves, répteis e peixes;

Resultado de imagem para ovos telolécito

Oligolécito: pouco vitelo. Ex: equinodermos, anfioxo, mamíferos placentados (alécitos);

Resultado de imagem para ovos oligolécito

Centrolécito: vitelo ao redor do núcleo. Ex: artrópodes;

Resultado de imagem para ovos centrolécito

 

CLIVAGEM

Quando a célula cliva, ela respeita a quantidade e distribuição de vitelo, ângulo do fuso meiótico e tempo de formação.

Holoblástica radial: 1° clivo acompanha o eixo principal. Ex: equinodermos, anfioxos, rãs, salamandras;

MERIDIONAL-MERIDIONAL-EQUATORIAL (repete)

Holoblástica espiral: clivagem em ângulos oblíquos (diagonais), células mais unidas. Ex: anelídeos, platelmintos, nemetinos e moluscos;

  • Moluscos apresentam o 1° clivo para mesma orientação da abertura da concha (mãe define o fenótipo por fatores morfogenéticos);

Holoblástica bilateral: a 1ª clivagem já define o lado esquerdo e direito do corpo. Ex; ascídeos-tunicados;

BILATERAL – MERIDIONAL – MERIDIONAL – EQUATORIAL (repete)

Holoblástica rotacional: rearranjo do citoplasma do óvulo (ativa e inibe genes), clivagem lenta, divisões não sincronizadas, compactação dos blastômeros. Ex: mamíferos;

Meroblástica discoidal: embrião em um disco (blastodisco), não cliva no vitelo;

MERIDIONAL – MERIDIONAL – EQUATORIAL (repete)

Meroblástica superficial: mitose nuclear até determinado momento;

 

IMPLANTAÇÃO

1ª SEMANA: trofoblastos sofrem sucessivas mitoses e se diferenciam em:

  • Citotrofoblasto: camada interna de células;
  • Sinciciotrofoblasto: camada externa de células, massa protoplasmática multinucleada que penetram entre as células endometriais;

2ª SEMANA: sinciciotrofoblasto produz o hormônio gonadotrofina coriônica humana (hCG) que mantém o corpo lúteo. Embrioblasto se diferencia em:

  • Epiblasto: camada mais espessa, células colunares, relacionada com a cavidade amniótica;
  • Hipoblasto: células cubóides, teto da cavidade celômica (saco vitelínico);
  • Epiblasto + Hipoblasto = Disco embrionário;

Formam-se lacunas, as quais são preenchidas por sangue materno para nutrição. No 12º dia, o embrião já está completamente implantado na parede uterina. Ocorre a reação decidual (sistema imunológico), células do epiblasto formam o alantóide, cordão umbilical é formado e surge o primeiro estágio das vilosidades coriônicas da placenta.

3ª SEMANA: gastrulação e neurulação;

Gastrulação: movimentos celulares para formação de anexos e folhetos germinativos;

Tipos de movimentos:

  • Epibolia: células se espalham;
  • Invaginação: dobra para dentro;
  • Involução: espalha na superfície de células remanescentes;
  • Ingresso: célula para o interior do embrião;
  • Delaminação: separação de uma camada de células em duas;
  • Intercalação: forma uma camada intercalada de células;

Folhetos :

  • Ectoderma: formado pelo epiblasto, posteriormente forma a epiderme e anexos, sistema nervoso;
  • Mesoderma: formado pelo epiblasto;
  • Endoderma: formado pelo epiblasto, posteriomente forma o epitélio do sistema digestório, respiratório, glândulas e tubo neural;

Além disso, na gastrulação forma-se a linha primitiva (dorso do disco embrionário, situado entre hipoblasto e epiblasto, posteriormente forma o nó primitivo) e a notocorda (células mesenquimais migram cefálicamente do nó e da fosseta primitivas, formando um cordão celular mediano (por meio de movimentos de involução) e que depois é envolvido por células e forma as vertebras).

Neurulação: células do epiblasto se acumulam (linha primitiva) e soerguem, formando as placas e pregas neurais. As placas apresentam cristas que se unem, formando um tubo: o tubo neural. No meio há o somito (esclerótomo- vértebras/ demamiótomo: dermamótomo- pele e derme e miótomo- músculo);

O mesoderma paraxial é o que forma os somitos, o lateral forma o tubo digestivo e a parede corpórea.

Vasculogênese e angiogênese (sistema circulatório do embrião).

TODO CRÉDITO E AGRADECIMENTO À PROFESSORA DE BIOLOGIA DO DESENVOLVIMENTO_ MARISA CARDOSO.jpg

Fontes:

  • Aulas da Professora Marisa Cardoso

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: