Imunologia: Defesa do organismo

Imunidade inata inespecífica- defesa interna e externa;
Imunidade adquirida específica- desperta a memória imunológica;
-Humoral: imunoglobulinas/anticorpos;
-Células: citocinas;

BARREIRAS NATURAIS
Pele- descamação da barreira física (1ª camada de queratina), microorganismos (microbiota normal), pH ácido, lisoenzimas, ácido lático e ácidos graxos insaturados (suor);
Trato respiratório- cílios, muco, tosse, espirro;
Trato digestivo- saliva (enzimas), pH baixo, bactérias comensais;
Trato genito-urinário- pH ácido, fluxo de urina, flora bacteriana;
Conjuntivo dos olhos- lisoenzima na lágrima;

Instalação de microorganismos é facilitada por defiências nutricionais, cortes, queimaduras e etc.
Inflamação causa calor, edema, eritema, dor e perda de função.

Quando há lesão nas células da pele, há liberação de prostaglandinas, leucotrieno e histamina para causar vaso-dilatação: abre poros no vaso, permite a entrada e a saída de substâncias, as células de defesa vão para o local da infecção. Há produção de uma rede de fibrina para cobrir o local.

O fígado é estimulado a produzir proteínas de fase aguda que vão para a circulação e para a infecção. Há a liberação de uma citocina que aumenta a temperatura local. Dependendo da produção, ela cai na corrente sanguínea, vai para o hipotálamo para regular a temperatura do corpo.

SISTEMA COMPLEMENTO
Complexo de ataque a membrana (MAC- causa citólise), uma série de proteínas na circulação que auxiliam os anticorpos a eliminar antígenos é ativada em cascata. Realiza a opsonização (anticorpo gruda no antígeno para que o mesmo seja fagocitado pelo macrófago), ativação da inflamação e da coagulação sanguínea, solubilização de complexos imunes e quimiotaxia.
Via clássica de ativação: patógeno se liga ao anticorpo e a proteína 1 (c1) que se quebra (b-sai/a-fica), se ligando à c4 que se quebra (b-sai/a-fica), se ligando à c2 que se quebra (b-sai/a-fica) e se liga à c3 convertase que inicia a via comum: c5, c6, c7, c8 e c9;
Via alternativa de ativação: c3 sofre hidrólise espontânea, atraindo fatores estabilizantes e gerando a c3 convertase que inicia a via comum: c5, c6, c7, c8 e c9;
Via da lectina ligadora de manose: manana atrai proteínas, formando a c4 que se quebra (b-sai/a-fica), se ligando à c2 que se quebra (b-sai/a-fica) e se liga à c3 convertase que inicia a via comum: c5, c6, c7, c8 e c9;

A proteína C reativa, produzida pelo fígado na fase aguda da infecção, gruda e destrói a bactéria. A substância interferon é produzida por uma célula já infectada e liberada no meio extracelular, penetra nos outros e induz a produção de proteínas antivírais.

ANTÍGENO
Qualquer substância estranha capaz de ser reconhecida pelo sistema imunológico adaptativo. Possui imunogenicidade e antigenicidade.
Imunógeno- induz a resposta imune e interage com os produtos (anticorpos e células);
Hapteno- substância que só induz a resposta imune quando se liga a receptores a proteínas;
Epítopo- menor porção do antígeno que se liga a receptores do linfócito T;
Aloantígenos- antígenos diferentes da mesma espécie (por exemplo, sistema ABO);
Xeno/Heteroantígenos- antígenos de espécies diferentes;
Adjuvante- substâncias que aumentam a resposta imune;
Reação cruzada- anticorpos para antígenos homólogos (destrói elementos parecidos);

FATORES QUE CONDICIONAM A RESPOSTA IMUNE
Composição química (proteínas (maior resposta imune), lipídeos, carboidratos);
-Peso molecular (quanto maior, maior a resposta imunológica);
-Complexidade molecular (moléculas não repetitivas geram uma maior resposta imunológica);
-Distância filogenética (quanto mais distante, maior a resposta imune);
-Vias de administração;

ANTICORPOS
Produtos da resposta imunológica contra o antígeno produzidos pelo linfócito B;
Resposta imunológica humoral- O linfócito B, ao se ligar ao antígeno, é ativado e produz anticorpo (contra lipídeos, carboidratos…). Se o caso for proteíco, o T-helper ativa citocinas e produz anticorpos para a proteína e gera a memória imunológica.
O linfócito B tem imunoglobulina IgM (pode mudar para o IgG: memória, soro, atravessa placenta).
Estimulação monoclonal- 1 antígeno;
Estimulação policlonal- 2 ou mais antígenos;

Imagem relacionada


FAB: área de ligação com o antígeno;
FC: cristalizado, se liga a células (macrófago, netrófilo, natural killer), tecidos);
2 cadeias peptídicas pesadas e 2 cadeias peptídicas leves com regiões constantes e hipervariáveis (FAB- específica para cada antígeno);

IgG: principal imunoglobulina presente no soro, capaz de atravessar a placenta. É um monômero que neutraliza toxinas, opsonização e complemento;
IgM: pentâmero (ligado por uma cadeia J);
IgA: dímero, apresenta porção secretora após passar pela mucosa, neutraliza vírus, bactérias e toxinas;
IgE: relacionada a processos alérgicas;
IgD: toxinas;



Fontes:

-Aula da Professora de Imunologia da Universidade de Taubaté (UNITAU): Célia Gonçalves e Silva;
-Abbas, Abul K.; LICHTMAN, Andrew H.; PILLAI, Shiv.. Imunologia celular e molecular. 8. ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2015.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: