Fisiologia Vegetal: Célula vegetal

Fisiologia vegetal estuda os fenômenos vitais das plantas, envolvendo bioquímica, interações celulares e ambientais, biologia molecular e anatomia/morfologia vegetal A célula vegetal é constituída da seguinte maneira: βA parede celular é exclusiva dos vegetais, constituída de celulose, hemicelulose e pectinas. É permeável, isto é, tem afinidade com a molécula de água. Confere resistência mecânica à... Continuar Lendo →

Anúncios

Fisiologia Vegetal: Água

Fator limitante e essencial para o desenvolvimento da planta A molécula de água é bipolar (apresenta carga negativa (oxigênio) e positiva (hidrogênios)), e em estado líquido se atrai por outras moléculas de água (polos opostos) por ponte de hidrogênio. A água apresenta inúmeras funções dentro de uma célula vegetal, tais como: • Solvente e meio... Continuar Lendo →

Parasitologia: Ascaridíase, Ancilostomose, Enterobíase, Tricuríase e Estrongiloidíase

Ascaris lumbricoides Ascaridíase Parasito dioico, com dimorfismo sexual (macho apresenta gancho para cópula) e 3 lábios para fixação na mucosa intestinal do hospedeiro. Ovos: parasito libera cerca de 200 mil ovos por dia, sendo eles férteis ou inférteis. Os ovos férteis apresentam 3 membranas, coloração castanha e são ovais, já os inférteis apresentam uma característica... Continuar Lendo →

Biologia do Desenvolvimento: Conceitos importantes e primeiras semanas do desenvolvimento embrionário

ANEXOS EMBRIONÁRIOS Saco vitelínico: fonte de nutrientes e de hemácias (em mamíferos); Âmnio: proteção mecânica e hidratação (importante para o desenvolvimento externo); Córion: nutrição e retirada de produtos tóxicos, produz gonadotrofina coriônica que induz a progesterona (mantém a parede uterina vascularizada e espessa) e somatotropina coriônica (lactação) e manutenção do feto; Alantóide: trocas gasosas, armazena... Continuar Lendo →

Zoologia dos Invertebrados Superiores II: Filo Arthropoda: Escorpiões, Aranhas, Crustáceos e Insetos

O Filo Arthropoda apresenta 3 sinapomorfias muito marcantes que descrevem o grupo: Exoesqueleto quitinoso: garante sustentação; Apêndices monoarticulados: garante movimento; Muda/Ecdise: promove o crescimento; Todos animais do grupo realizam o processo de autotomia, que é a perda voluntária de apêndices (quelíceras, pedipalpos e patas). A muda ou ecdise é dividida em algumas etapas, sendo controlada... Continuar Lendo →

Sistemática Vegetal: Angiospermas basais (APG II)

Constituído por: Monocotiledôneas: clado Lilideas e clado Commelinideas; Eudicotiledôneas: clado Anita e complexo Magnolioide; 2 ordens de posição incerta; Complexo Lilioide (Monocotiledôneas) Principal família: Liliaceae; Complexo Comelinóide (Monocotiledôneas) Família Poaceae: flores reunidas em inflorescências tipo panícula e espiga, caule cilíndrico, fruto tipo cariopse (seco-indeiscente); Família Cyperaceae: flores reunidas em inflorescência tipo pleocásio, caule triangular e... Continuar Lendo →

Genética Humana: Síndromes cromossômicas e Herança multifatorial

SÍNDROMES CROMOSSÔMICAS Geradas por mutações, idade materna e paterna avançada, genética, radiação, drogas e vírus. Síndrome de Down (47, XX ou XY + 21): deficiência mental, língua protusa, orelha pequena, cardiopatias, 15x mais propensos a leucemia. Não disjunção meiótica/ Mosaicismo/ Translocação; Síndrome de Patau (47, XX ou XY + 13): deficiência mental e motora, lábio... Continuar Lendo →

WordPress.com.

Acima ↑